Fazer refinanciamento para se livrar de dividas

Fazer refinanciamento para se livrar de dividas
Gostou? Então Vote!

Fazer um refinanciamento para se livrar de dividas

Quando falamos de “fazer refinanciamento” logo vem a cabeça a ideia que teria que fazer uma nova divida em cima de uma que já está em andamento. Digo que isto é meia verdade, o refinanciamento pode ser concluído também com bens que já estão totalmente quitados.

Este recurso, assim com a compra de dívida (vender empréstimos) nos últimos tempos tem sido muito procurado por pessoas que estão com dividas e querem sair da situação de endividamento.

É claro que ninguém em sã consciência quer ficar no vermelho, com contas atrasadas, nome indo para o SPC e Serasa, tendo protestos em cartórios e telefonemas de credores a todo momento. Isso trás frustração e desgasta qualquer cidadão de bem.

A rotina do dia-a-dia das pessoas economicamente ativas não é fácil, correrias, trabalho, estudos, viagens, e numa dessas o improvável pode acontecer, todos estão sujeitos a imprevistos e gastos inesperados a qualquer momento.

Uma hora você percebe que suas finanças estão fora do controle – e agora? A pergunta que perturba a mente de todo endividado é – será que vou conseguir pagar essa divida antes que os juros me engulam por completo?

Nestes tipos de situações o melhor é pagar os débitos por antecipação, ou seja, quitar as dividas por completo, mas essa ação vai demandar de quantias elevadas dependendo do saldo devedor.

Se você esta nesse momento precisando de dinheiro emprestado e não tem mais linhas de empréstimos pessoais disponíveis, a dica é você optar pelo refinanciamento.

Mas…, o que é refinanciamento ?

“O refinanciamento é uma modalidade de crédito pessoal que libera quantias em dinheiro para pessoas que possuem empréstimos em andamento (consignado) e para quem possui bens é quer dá-los como garantia na operação”

Que modalidades de refinanciamentos existem ?
Quando se fala em fazer refinanciamento, a maioria das matérias citam somente dois tipos de operação, no entanto nós podemos acrescentar mais um tipo, vamos ver quais são:

1 – Refinanciamento de empréstimos.
2 – Refinanciamento de veículos.
3 – Refinanciamento de imóveis.

Contratar um refinanciamento seja em qualquer uma das modalidades é muito interessante principalmente para pessoas que estão endividadas com linhas de crédito, empréstimos pessoais caros ou que estão com o nome sujo nos órgãos de proteção.

#1 – Refinanciamento de empréstimos

Para fazer um refinanciamento de empréstimo, em especial o crédito consignado, o mutuário deve ter pago pelo menos 35% do contrato pactuado. Esta é uma forma comum de aposentados, pensionistas, servidores públicos e militares conseguirem dinheiro emprestado renovando seus empréstimo em consignação.

#2 – Refinanciamento de veículos

Nessa modalidade não é necessário vender o carro para obter dinheiro, basta ter um veículo totalmente quitado e que esteja em bom estado de conservação que a solicitação do refinanciamento acontece sem problemas.

O veículo refinanciado fica alienado como garantia para o banco ou financeira credora. O valor emprestado pode chegar até 90% do valor do carro na tabela FIPE com prestações em até 60 meses.

#3 – Refinanciamento de imóveis

Ao refinanciar o seu imóvel, além de permitir a redução das despesas mensais com outros empréstimos, organizar suas finanças domesticas, você ainda consegue substituir algumas taxas de juros de dívidas em financiamento atuais diminuindo as parcelas para se adequar a sua situação financeira atual.

A operação é concedida tanto para pessoas físicas quanto para empreendedores e pequenos empresários que precisam de dinheiro para uso próprio ou para usar os recursos financeiros para capital de giro, ampliação do negócio e muito mais.

Os bancos liberam até 50% do valor atual de mercado do imóvel, além de ter taxas de juros excelentes, a partir de 1,00% ao mês e prazos de reembolso de até 360 meses. Os valores liberados chegam a R$ 1.000.000 mesmo a pessoa tenha restrição cadastral no SPC e Serasa.

#4 – Como funciona o refinanciamento ?

Cada modalidade de refinanciamento possui regras e políticas de crédito próprias, é preciso entender o mínimo de como cada uma delas funciona.

Se você quiser saber mais sobre refinanciamento de empréstimos e de bens basta ligar para seu gerente ou contactar uma instituição financeira qualquer.

Como você pode ver existem dois tipos de refinanciamentos: os com garantia e o refinanciamento sem garantia. Vale mencionar também que o prazo para pagamento das parcelas que cada um oferece são diferentes:

(A) – Empréstimos – Até 99 parcelas, sem garantias.
(B) – Veículos – Até 60 vezes, com garantia.
(C) – Imóveis – Até 360 meses, com garantia.

#5 – Para quem o refinanciamento serve ?

“O refinanciamento em geral serve para auxiliar pessoas e mutuários na obtenção de dinheiro para usarem como quiserem inclusive honrar débitos e compromissos financeiros, além de servir como redutor de custos totais com juros e valor de parcelas”

Nossa Dica: Quando sua opção for fazer refinanciamento de bens envolvendo veículos ou imóveis, eles serão a garantia do credor, portanto serão alienados no nome do credor até que a quitação total aconteça.

Tome cuidado, se no meio do contrato você se tornar inadimplente por mais de 90 dias, seu credor pode tomar o bem (veículo ou imóvel) e colocá-lo a leilão.

Reveja toda a sua situação financeira com calma, analisando de forma inteligente qual alternativa é a mais adequada para o momento que você vive.